quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Campanha Consumo Consciente do Sal


 Participe você também!!

Caracterização

 No período, do dia 15 de agosto a 24 novembro foi realizada a fase de caracterização nas escolas estaduais da capital S. Paulo. Realizamos visitas com a equipe de enfermagem nas 13 diretorias de ensino.



(E.E. Professor Jose Geraldo de Lima- Diretoria Sul 2)




(Equipe de Enfermagem a caminho das escolas da Diretoria Norte 2)





Obrigada a todos Servidores Estaduais, toda equipe de enfermagem, motoristas, coordenadores, equipe de segurança do trabalho que colaboraram com o sucesso do nosso trabalho. 



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Terceiro Encontro do Grupo “Eu, Tu Eles somos nós”

           Realizamos um encontro do grupo trabalhando o conceito de persona, de acordo com C. G. Jung. Este conceito diz respeito ao modo como nós nos apresentamos ao mundo, ou ainda, a máscara que usamos em diferentes contextos (Para aprofundamento, acessem:http://www.rubedo.psc.br/dicjung/verbetes/persona.htm)

O objetivo da atividade foi refletir sobre a necessidade de nos apresentarmos de distintas maneiras ao mundo e as pessoas, o que se relaciona à representação social que temos de um determinado “papel” ou lugar que ocupamos. Esta representação é construída ao longo de nossa vida a partir dos diferentes significados e sentidos que atribuímos a determinados papéis. Eles são permeados pela imagem que a sociedade valida ou não de cada um desses papéis. Sendo assim, podemos concluir que a persona tem sempre um componente individual e coletivo.

Usar máscaras para se relacionar com as pessoas e o mundo, da perspectiva da psicologia analítica, é inerente a qualquer humano. Contudo, a persona tem tanto aspectos positivos, de adaptação e proteção, como pode ter aspectos patológicos. Tudo depende da consciência que temos dos diferentes papéis que desempenhamos e da flexibilidade com que transitamos de um lugar a outro que ocupamos.

A atividade foi concluída com uma poesia, chamada “O Louco” de Gibran Khalil Gibran a fim de refletirmos mais acerca do conceito trabalhado:

"Perguntais-me como me tornei louco. Aconteceu assim:


Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas – as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas – e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente gritando: “Ladrões, ladrões, malditos ladrões!”

Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim.

E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: “É um louco!” Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua.

Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: “Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!”

Assim me tornei louco.

E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós."

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

 
                               CAMPANHA VOZ SAUDÁVEL VIDA MELHOR!!!

    No dia 24/10/2011, iniciamos a Campanha `` Voz Saudável Vida Melhor´´ na Diretoria de Ensino Centro, a qual teve continuidade em algumas escolas durante o horário de HTPC. Na Diretoria de Ensino, as atividades tiveram duração de 4 horas e nos horários de HTPC, tiveram duração de 2 horas.
   A primeira atividade foi sobre a Psicodinâmica da Voz, ou seja, sobre a impressão que nossa voz transmite (ex: agressividade, fragilidade, infantilidade, meiguice, segurança, etc). Essa atividade teve o objetivo de questionar cada servidor sobre a percepção de sua voz, lembrando sempre que uma voz saudável é aquela que consegue transmitir as diversas emoções.
Passamos um vídeo com vozes de pessoas conhecidas e eles deveriam discutir que impressões essas vozes passam. Obs: lembramos que a psicodinâmica não pode ser analisada em um único recorte.

*Vídeo das Vozes:
video








    Em seguida passamos o Questionário de Psicodinâmica (Boone, 1991, adaptado por Behlau e Pontes, 1995), no qual eles deveriam pensar em 10 características da sua voz e refletir se as mesmas são ruins ou boas para cada indivíduo.

*    Termos descritivos sobre a voz (Boone, 1991) adaptado por Behlau & Pontes, 1995.
Assinale com um circulo pelo menos 10 palavras relacionadas à sua voz

Abafada
Constrita
Grossa
Pobre
Aberta
Convincente
Gutural
Poderosa
Adequada
Cortante
Harmoniosa
Polida
Afetada
Crepitante
Hesitante
Pontuda
Afiada
Cruel
Imatura
Potente
Agitada
Débil
Imponente
Prateada
Agradável
Desafinada
Impotente
Prazerosa
Agressiva
Desagradável
Inadequada
Profunda
Aguda
Descontrolada
Inaudível
Quebrada
Alegre
Deteriorada
Incisiva
Quente
Alta
Dirigente
Inconfundível
Rachada
Amável
Dócil
Inexpressiva
Radiante
Ameaçadora
Dourada
Infantil
Rápida
Anasalada
Dura
Infantilizada
Rara
Animada
Efeminada
Insegura
Raspada
Antipática
Encoberta
Instável
Redonda
Apagada
Efervescente
Instrumental
Relaxada
Apertada
Enjoada
Irregular
Ressonante
Ardida
Entediada
Irritante
Rica
Arrogante
Entrecortada
Jovial
Rouca
Artificial
Esbranquiçada
Lenta
Rude
Áspera
Escura
Leve
Ruidosa
Assobiada
Esganiçada
Limitada
Ruim
Autentica
Estável
Limpa
Seca
Autoritária
Estrangulada
Macia
Sedosa
Aveludada
Estressada
Madura
Sedutora
Baixa
Estridente
Masculina
Sensual
Boa
Expressiva
Masculinizada
Sexy
Bonita
Falsa
Medrosa
Simpática
Branca
Fanhosa
Meiga
Sofisticada
Brilhante
Feia
Melodiosa
Solta
Bruta
Feminina
Melosa
Soprosa
Cansativa
Fina
Metálica
Suave
Charmosa
Flutuante
Meticulosa
Submissa
Chata
Forçada
Mole
Suja
Chorosa
Forte
Monótona
Temida
Clara
Fraca
Morta
Tensa
Colorida
Fria
Oca
Tímida
Com cor
Fúnebre
Ofensiva
Transparente
Comprimida
Gostosa
Oscilante
Tremula
Comum
Grande
Pastosa
Triste
Confiante
Grave
Pequena
Velha
Conflituosa
Gritante
Pesada
Vigorosa




Para finalizar, passamos o seguinte vídeo:

* Vídeo de Psicodinâmica
video



Dividimos os participantes em oficinas.:

Oficina 1: Voz Profissional. Foi discutido o que é um profissional da voz e em seguida realizado um teatro de sala-de-aula, no qual o participante que fizesse o papel de professor deveria utilizar estratégias para lidar com as condições adversas do ambiente que não sobrecarregassem a voz. Como fechamento, além da discussão, passamos um vídeo sobre o assunto.

*Vídeo Voz Profissional
video








Oficina 2: Mitos e Verdades da Voz. Os participantes foram divididos em subgrupos e receberam figuras sobre hábitos vocais saudáveis e prejudiciais e, após discussão, o grupo deveria apresentar o que tinham de conhecimento a respeito das mesmas (ex:maça, água, gritar, gengibre, pigarro, sussurro etc)


Mitos e Verdades sobre a voz
1.          Própolis e gengibre fazem bem para a voz.
MITO. Própolis e gengibre têm efeito anestésico, mascarando a dor na garganta e dando uma sensação de alívio. Durante esta sensação, há redução da sensibilidade e não sentimos o esforço que estamos fazendo ao falar. Dessa forma, acabamos cometendo mais abusos vocais e piorando a rouquidão. Esses produtos também alteram a viscosidade e a quantidade de saliva, podendo dificultar a articulação dos sons da fala.
2.          Mel, chá e gargarejo de folha de romã fazem bem para a voz.
MITO. Não há comprovação científica de que mel, chá e folha de romã tragam benefícios para a voz.
3.          Fazer gargarejo com limão e vinagre melhora a voz.
MITO. Tanto o limão quanto o vinagre irritam a mucosa do trato vocal (caminho percorrido pela voz) e, portanto, não devem ser usados para fazer gargarejo. 
4.          Beber água faz bem para a voz.
VERDADE. Um corpo permanentemente hidratado significa pregas vocais hidratadas e com melhor flexibilidade e vibração.  É indicado beber em média dois litros (8 a 10 copos) de água ao longo dia.
5.          A ingestão de bebidas alcoólicas faz mal para a voz.
VERDADE.  A ingestão de bebidas alcoólicas causa irritação em todo o trato vocal. Uma pequena dose de bebida alcoólica provoca, aparentemente, uma sensação de melhora da voz em decorrência da anestesia da região da faringe. Como há a redução da sensibilidade, não percebemos os abusos vocais que são cometidos.
6.          Fumar prejudica a voz.
VERDADE. A fumaça agride todo o sistema respiratório, trato vocal e principalmente as pregas vocais, o que pode levar a uma irritação da mucosa, edema em pregas vocais e ao aparecimento de pigarro e de tosse em decorrência do aumento de secreção. Além disso, o cigarro é altamente nocivo à saúde.
7.           Tossir ou pigarrear “limpa” as pregas vocais.
MITO. A prática constante de tossir ou pigarrear pode causar lesões nas pregas vocais. Como reação ao atrito constante e buscando se protegerem do impacto, há um aumento da produção de muco na região das pregas vocais, o que atrapalha a emissão vocal e faz com que o indivíduo tenha vontade de pigarrear ou tossir novamente, tornando-se um ciclo vicioso. Para reduzir a produção de muco e assim eliminar a vontade de pigarrear ou tossir, é recomendada a ingestão de muito líquido e a inalação com vapor d’água para lubrificar as secreções. Engolir a saliva com força ou tomar vários goles de água também é uma boa estratégia para evitar o ato de pigarrear ou tossir.
8.          Comer maçã melhora a voz.
MITO. A maçã tem propriedade adstringente e auxilia na limpeza da boca e faringe. Mastigá-la exercita toda a musculatura facial e relaxa a musculatura da mandíbula, auxiliando na melhora da articulação. No entanto, ingerir este alimento não provoca melhora direta da qualidade vocal e seu consumo excessivo pode estimular o refluxo gastroesofágico.
9.          Bebida gelada e sorvete fazem mal para a voz.
MITO. A maior parte das pessoas não sofre nenhum impacto ao ingerir bebidas geladas e/ou sorvete. Algumas pessoas têm mais sensibilidade às alterações de temperatura e, portanto, devem evitar o choque térmico.  Se você não sente nenhum problema com alimentos e bebidas frias, pode ingeri-los sem preocupação. Os sorvetes que são derivados do leite aumentam a produção de secreção e devem ser evitados caso você necessite usar muito a voz após o consumo.
10.       Dormir bem melhora a voz.
VERDADE. Ao dormir recarregamos as energias e a voz também depende dessa “bateria” para funcionar com mais potência. Quando acordamos a voz está um pouco diferente, geralmente, mais fraca, mais grave e a fala mais lenta. Após 15 a 45 minutos que estamos acordados, a voz já deve estar em seu padrão habitual. Quando temos uma noite de sono inadequada, a voz pela manhã fica mais “pesada”, grave e até mesmo rouca, demorando mais para retornar ao seu padrão habitual.
11.       As roupas podem atrapalhar a qualidade vocal.
VERDADE. Roupas apertadas na região do pescoço e do abdome podem dificultar o movimento respiratório e restringir a movimentação muscular das estruturas, forçando o mecanismo da produção vocal. Saltos muito altos também podem induzir uma postura corporal mais tensa e, de modo indireto, tensão na produção da voz.
12.       A voz não envelhece.
MITO. Assim como todos os tecidos do corpo, a mucosa das pregas vocais também envelhece. Essas modificações ocorrem com a idade e são mais evidentes a partir dos 60 anos, com grande variação de pessoa para pessoa. A voz pode ficar mais fraca, mais trêmula, mais grossa nas mulheres e mais fina nos homens. Sendo assim, é importante a realização de atividades físicas, uma boa alimentação e exercícios vocais.
13.       A exposição ao ar condicionado prejudica a vibração das pregas vocais.
MITO. O ar condicionado não prejudica a vibração das pregas vocais. Em geral, o ar condicionado resseca a mucosa do trato vocal, porque diminui a umidade do ar. Há pessoas que sentem mais os efeitos que outras, o que depende das características individuais de cada organismo, assim como do tempo de exposição. É recomendado ingerir bastante água e respirar exclusivamente pelo nariz.
14.       Sprays e pastilhas melhoram a voz.
MITO. Cuidado com a utilização de sprays e pastilhas sem orientação médica! Assim como o álcool, eles têm efeito anestésico, reduzindo a sensibilidade e mascarando a dor e a sensação de esforço vocal, o que permite que abusos vocais sejam cometidos sem serem percebidos.
15.       Exercício físico provoca melhora da voz.
MITO. A prática de exercícios físicos contribui para a saúde geral. Algumas modalidades tem movimentação intensa dos membros superiores (boxe, tênis, karatê, vôlei e musculação) e podem causar tensão muscular nas regiões do pescoço, ombros, tórax e costas, não sendo indicadas para quem utiliza a voz profissionalmente ou apresenta alguma alteração vocal. Para estes casos, as modalidades mais indicadas são: natação, caminhada, ginástica sem impacto, exercícios de alongamento e ioga. Mas fique atento! Praticar exercícios falando pode prejudicar a voz, porque durante o esforço físico ocorre um aumento na força do fechamento das pregas vocais.
16.       Alimentação mais adequada ajuda na saúde vocal.
VERDADE. A regularidade e o equilíbrio da alimentação ajudam na saúde como um todo e, consequentemente, na saúde vocal. Alimentos pesados e condimentados devem ser evitados, pois podem prejudicar a digestão, favorecer o refluxo gastroesofágico, provocar rouquidão e limitar a respiração necessária para o uso vocal.
17.       O chocolate faz mal para a voz.
VERDADE. O chocolate e outros derivados do leite (queijos, iogurtes, etc.) aumentam o muco do trato vocal, atrapalhando a vibração das pregas vocais. Portanto, devem ser evitados caso você necessite usar muito a voz após o consumo.
18.       A competição sonora prejudica a voz.
VERDADE.  Com o ruído perdemos o controle da voz pela audição e, instintivamente para sermos entendidos, aumentamos o volume da voz e falamos com mais esforço.
19.       É normal a voz mudar durante o dia.
VERDADE.  A voz está intimamente ligada a nossa personalidade e expressa sentimentos, desejos e emoções. Do mesmo modo que a tensão do nosso corpo varia durante o dia, a voz também varia acompanhando nosso estado físico e emocional.
20.       Devo sussurrar quando estou rouco para poupar a voz.
MITO. O sussurro em excesso pode prejudicar a laringe pela tensão necessária para bloquear o som natural da voz. Quando estamos sem voz o ideal é evitar falar e, se isso não for possível, procurar falar baixo abrindo bem a boca.
21.       A voz que eu ouço quando falo é diferente da minha voz em uma gravação.
VERDADE.  Quando escutamos a nossa voz no dia-a-dia, recebemos informações por via aérea (som da voz pelo ar) e por via óssea (vibração dos ossos do corpo), o que torna o som mais grave. A voz que ouvimos em uma gravação ocorre somente pela via aérea e se aproxima mais de como os outros nos escutam.
22.       Mudanças bruscas de temperatura interferem na produção da voz.
VERDADE. As mudanças bruscas de temperatura - tanto do quente para o frio como do frio para o quente - causam uma alteração na vascularização e como defesa, as mucosas do trato vocal reagem ficando edemaciadas e aumentando a produção de muco.
23.       Problema no estômago interfere na qualidade da voz.
VERDADE. Algumas pessoas sentem que após as refeições a voz piora, aumenta o pigarro e há retorno de líquido do estômago para cima. Estas pessoas independentemente de terem azia ou queimação, podem sofrer da doença do refluxo gastroesofágico. Como a laringe não está preparada para receber os líquidos do estômago, ela pode ficar inflamada ou irritada, prejudicando a voz e provocando rouquidão. Algumas estratégias para evitar o refluxo são comer pequenas porções de alimentos ao longo do dia e não dormir logo após alimentar-se, mantendo um jejum de 3 horas antes de deitar. Caso o refluxo seja constante, é recomendado procurar orientação médica.


24.       Alergias, asma e bronquite podem causar rouquidão.
VERDADE.  Toda e qualquer alteração das vias aéreas, dos pulmões ao nariz podem prejudicar a voz. A respiração está diretamente relacionada com a produção da voz, por isso é importante que o fluxo respiratório esteja livre e equilibrado. O ar que sai dos pulmões é o “combustível” (energia) responsável pela vibração das pregas vocais e produção da voz. Alergias nasais incham os tecidos do nariz e da garganta e podem exigir mais esforço para falar e controlar a instabilidade na voz. Asma e bronquite descontrolam a respiração e dificultam a coordenação da fala, assim como a projeção da voz no ambiente.
25.       O estresse pode prejudicar a voz.
VERDADE.  Quando estamos passando por situações de estresse físico e/ou mental, temos a tendência de enrijecer a postura e aumentar a tensão muscular de várias regiões do corpo. Uma das regiões mais afetadas é a cervical e, consequentemente, a musculatura que está envolvida na produção da voz. O estresse pode tornar a emissão vocal mais tensa e menos resistente quando se tem que falar por muito tempo.
26.       Problema na tireóide pode afetar a voz.
VERDADE. A glândula tireóide fica sobre a laringe, logo abaixo da pele do pescoço. Os nervos que enviam estímulos para a movimentação das pregas vocais, a fim de controlar sua vibração e os ajustes de tom (fino ou grosso) passam por essa região. Nódulos na glândula tireóide podem comprimir os nervos e comprometer a atividade dos músculos responsáveis pela voz. O desequilíbrio dos hormônios produzidos por essa glândula também pode afetar a voz, deixando-a mais instável, rouca e grossa.
27.       Problema de audição pode prejudicar a voz.
VERDADE. Nós monitoramos a nossa voz por meio da audição. Ouvir bem é fundamental para controlar o tom, esforço e qualidade da voz. As pessoas com dificuldade de audição, ao falar, aumentam o volume da voz e muitas vezes, não percebem o esforço, apresentando maior risco de desenvolverem um problema vocal.
28.       A voz pode mudar no período pré-menstrual.
VERDADE. Algumas mulheres sofrem da chamada síndrome de tensão pré-menstrual (TPM), com oscilação de humor (maior irritabilidade e sensibilidade) e inchaço corporal. Destas, uma porcentagem percebe que a voz fica mais instável, grossa e menos limpa nesse período. Observe no próximo ciclo menstrual, se sua voz altera nos 3 dias que antecedem o fluxo e logo após o início da menstruação. Se isso ocorrer, redobre a atenção para o uso correto da voz e não deixe de fazer seus exercícios vocais.
Bibliografia
Behlau, M. & Pontes, P. – Avaliação e tratamento das disfonias. Editora Lovise. São Paulo, 1995.
Gonçalves, N. – A importância do falar bem:  a expressividade do corpo, da fala e da voz valorizando a comunicação verbal. Editora Lovise. São Paulo, 2000.
Pinho, S. M. R. – Manual de higiene vocal para profissionais da voz. Pró-Fono Departamento Editorial. Carapicuíba, 1997.
Pinho, S. M. R. – Fundamentos em Fonoaudiologia: tratando os distúrbios da voz. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, 1998.










Oficina 3: Fisiologia Vocal e Exercícios. Primeiramente foi explicado a fisiologia vocal  através de um vídeo sobre as pregas vocais.

* Vídeo das Pregas Vocais
video


   Em seguida, foram realizados exercícios de alongamento corporal, respiração, ressonância, articulação, aquecimento e desaquecimento vocal, com a devida explicação sobre o objetivo de cada procedimento.

* Slides dos exercícios vocais


video














Finalizamos entregando o Folder da Campanha.






video
 Links sugeridos:
www.sinpro.org.br - Sindicato dos Professores de Sao Paulo
www.cevfono.com - Centro de Estudos da Voz
www.fonoaudiologia.org.br - Conselho Federal de Fonoaudiologia
http://fonoeducasaude.blogspot.com - Campanha de Voz 2011